Gilberto de Mello Freyre  (1900 / 1987), nascido em Pernambuco, foi o sociólogo e antropólogo, autor da discutida teoria da “democracia racial” brasileira, cuja extensa obra publicada analisa as relações entre grupos de origens étnico-sociais distintas no Brasil. Entre suas obras mais conhecidas, destaca-se Casa-Grande e Senzala, publicada em 1933.
Este Menu baseia-se no Livro “À Mesa com Gilberto Freyre”
Publicado em  2005, pela Editora Senac e Fundação Gilberto Freyre – com coordenação e organização editorial por Raul Lody e Arthur Bosisio

Todas as receitas do livro pertencem ao repertório de Magdalena Freyre, esposa do sociólogo e escritor, e faziam parte dos cardápios da família que viveu por décadas nos arredores de Recife, região tranqüila e bucólica,  chamada Apipucos, e a qual Gilberto Freeyre se referia como sua “Suíça tropical”.
Gilberto Freyre, ao lado de  outro antropólogo, Câmara Cascudo, foi dos primeiros intelectuais a dar relevo à cozinha como indicador da cultura de um povo. Sobre o assunto testemunhou no seu livro “Açúcar” a importância da doçaria e confeitaria das senhoras de engenho e das negras de tabuleiros do Nordeste. Além disso, o sociólogo sempre foi reconhecido como um bom garfo e um generoso anfitrião.
A  histórica residência da família, a Vivenda Santo Antonio de Apipucos, recebeu grandes nomes da literatura, do cinema, da política e das academias internacionais. Pelas recepções requintadas da casa-grande dos Freyre, onde todas as iguarias eram preparadas sob o comando de D. Magdalena, passaram visitas ilustres como, Arnold Toynbee, Roberto Rosselini, Jorge Amado, Carlos Lacerda, Henry Kissinger e Robert Kennedy. 
Os pratos regionais que a quituteira Magdalena colecionava em seus cadernos de receita, iam da feijoada (carregada no cominho e nas pimentas, como gostava o marido), ao peixe de coco com pirão, do caruru a dobradinha, da farofa de bolão ao bife gralhado com muita manteiga (outra predileção do sociólogo), além de um famoso cozido pernambucano (muita verdura, legumes, banana cozida, osso de tutano e pedaços de charque), geralmente servido às  quintas-feiras, o dia reservado aos amigos mais íntimos  para dividirem a mesa com os Freyre.

 

Entrada
Bombinhas de Camarão, Açafrão e Agrião
(receita que figurava nos chás da tarde da família)
(pág. 79 do livro “A mesa com Gilberto Freyre”)
R$ 24,00

Prato principal
Bacalhau dos Céus
(desfiado com mousseline de mandioquinha e crisps de alho-poró)
(receitas nas páginas 44 e 47 do mesmo livro)
R$ 58,00

Sobremesas
Pastel de Tapioca com Doce cremoso de Côco Verde
(pág. 86 do mesmo livro)
R$ 16,00

 

Faça o download do Cardápio, clicando aqui

 

Voltar